Ela é simplesmente fantástica e tem jogo de cintura.

27/11/2017 13h51 - Atualizado 27/11/2017 14h01

Pense numa escritora versátil, capaz de escrever enredos de terror de arrepiar, como no livro Lendas do Sul, e histórias infantis, mas não menos profundas, como na obra “A Máquina Fantabulástica”. Uma escritora que ama ficção científica e literatura fantástica. Ela é Simone Saueressig, autora adotada pela EMEF Leocádia Felizardo Prestes e que esteve lá para um bate-papo com professores e alunos, no dia 21 de novembro.

Nascida em Campo Bom e, hoje, residindo em Novo Hamburgo, Simone começou muito jovem como escritora, lançando-se no mercado em 1987. Atendendo a um público de faixa etária bem diversa, de Jardim a Nono Ano, a autora conseguiu manejar bem a conversa, respondendo a todas as perguntas e contando curiosidades pessoais, como o significado de seu sobrenome ( vinagre azedo), sua paixão pela dança ( ela é bailarina e professora de balé) e de um de seus medos ( o fim do mundo), que, inclusive, foi mote para a criação de uma história.

Ouvir a Simone é como assistir a uma aula, mas muito mais interessante. Foi o caso de quando um aluno lhe perguntou se “tinha como evitar o clichê”, e ela respondeu que não era à toa que “clichê era parecido com chiclé “ –  algo que grudava mesmo, difícil de se livrar. E mesmo um escritor tarimbado às vezes caía nessa armadilha. No entanto, um clichê pode ser útil, em algumas situações de escrita. E toda a explicação era dada de um jeito doce, todo atencioso mesmo.

Infelizmente, a escola não a recebeu como gostaria, devido aos problemas enfrentados com a administração atual da Prefeitura de Porto Alegre, que restringiu consideravelmente a verba para o Programa Adote um Escritor, além de a autora ter chegado logo após o retorno de grande parte do corpo docente que estava em greve.

Ficou a sensação de que a escritora poderia ter sido melhor prestigiada e trabalhada com os alunos, que, após o encontro, passaram a procurar muito mais por seus livros na biblioteca.

A autora, que veio acompanhada se sua mãe, contornou muito bem a situação e foi extremamente profissional, valorizando os poucos trabalhos produzidos a partir de seus livros.

Fica a expectativa de que, em outra oportunidade, seja possível reeditar esse encontro de forma mais intensa, do jeito que a autora merece.

Para saber mais da autora, acesse  http://www.porteiradafantasia.com/

 

Simone Saueressig conversa com os alunos

 

 

Simone Saueressig conversa com os alunos pelo Programa Adote um Escritor

Trabalho feito a partir do livro “A casa”

 

A autora e eu, na Biblioteca
Erico Verissimo, da EMEF Leocádia Prestes, onde trabalho.

 

Faça seu comentário

Você pode usar essas tags HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>