Fábio Monteiro e seus livros encantadores

17/11/2017 22h54 - Atualizado 17/11/2017 23h27

            No dia 10/11/2017 , na última sexta-feira, o escritor pernambucano, radicado em São Paulo, Fabio Monteiro, autografou seu livro “Ulisses sabe escolher”, pela editora Abacatte, na 63ª Feira do Livro de Porto Alegre.

            Eu já o conhecia, pois foi o autor adotado pela escola municipal onde trabalho, no ano passado, pelo Programa Adote um Escritor, um projeto da Secretaria Municipal de Educação do Município, em parceria com a Câmara do Livro.

            O mais interessante desse encontro  é que o autor era completamente desconhecido de nossa comunidade, já acostumada com nomes locais, como Caio Riter, Marô Barbieri, entre outros. Por esse motivo, quando soubemos que o Fábio fora o escolhido para nos visitar, ficamos na expectativa: “Nossa, será que ele é legal? Saberá interagir com as crianças?”

            Logo nossas angústias foram ficando de lado nos primeiros contatos, via e-mail. Como trabalho na biblioteca da escola e ajudo a coordenar as visitas dos autores, iniciei as correspondências. Pelas respostas que recebíamos, dava para sentir o cara bacana que ele era. E tão logo começamos a ler os livros indicados para o trabalho com os alunos, percebemos o quão sensível o autor era para tratar desde temas universais como a amizade, as diferenças, até temas pungentes como as marcas trazidas pela seca do Sertão. A conexão foi imediata.

            No livro “Ulisses sabe escolher”, Fabio Monteiro discute uma questão que, costumeiramente, perturba nossos lares (se não aconteceu no seu, pode ter certeza, em muitos outros já) que é a tendência de muitos pais, avós, familiares quererem decidir a profissão dos filhos. Um tema espinhoso, delicadamente desenvolvido na obra.

            Fora isso, Fabio é um querido, simpático, gentilíssimo para tratar com as pessoas, generoso. O que vemos em seus livros é o que ele é.

            Já deu pra ver que sou fã, né?

            Ah, só mais um detalhe, nem tão pequeno assim: o autor foi vencedor do Prêmio Jabuti 2016, na Categoria Jovem, pelo livro “Cartas a povos distantes”, que recebeu o selo Altamente Recomendável pela FNLIJ. Não é demais?

 

Da esquerda para a direita: eu, Fabio Monteiro e Edinei Consalter, da Editora Paulinas, na noite de autógrafos do livro “Ulisses sabe escolher”

 

Noite de autógrafos do livro “Ulisses sabe escolher”: À frente, à esquerda, Fabio Monteiro, ao seu lado, o escritor Caio Riter; atrás do Fábio, Elaine Maritza, eu, e Antônio Schimeneck . Na última coluna, da esquerda para a direita, o escritor Christian David, Edinei Consalter e Jonathas Martins.

 

Faça seu comentário

Você pode usar essas tags HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>